Dark Side RPG

Um RPG que se passa em um mundo pós-apocalíptico, com vários reinos se formando sobre as ruínas do mundo antigo.
 
InícioCalendárioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Aisu Frostfang

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Aisu Frostfang

avatar

Sexo : Feminino
Data de nascimento : 07/07/1991
Horóscopo chinês : Cabra
Zodíaco : Câncer
Status : Vivo(a)
Terra Natal : Iceland
Tendência : Leal - Mau
Data de inscrição : 14/12/2014
Mensagens : 8

MensagemAssunto: Aisu Frostfang   Qua Dez 31, 2014 4:45 pm

[Música tema: Metal Gear Rising - A Stranger I Remain Extended]


Código de conduta é só o que nos resta.

Período Kamakura, inverno do ano 1264. Uma garota de pele e cabelos brancos nasce, quase que com albinismo, que havia recebido o nome de Usui, na mesma noite fria em que havia nascido. Filha de um xogun, ela havia recebido em sua linhagem, uma responsabilidade muito grande, até em dar continuidade ao seu nome, considerados descendentes dos príncipes do clan Minamoto, filhos do imperador Seiwa, sendo assim um título hereditário.

Por estar em um patamar elevado, considerando as outras crianças, Usui recebia uma educação de boa qualidade, além de aulas de história que eram muito importantes, e, como no antigo império japonês, se o filho não se dedicasse à isso, ele seria visto como um peso na família, por isso ela já era forçada desde o início a ser comportada e com dever e honra, crescer para proteger o seu legado. Aos 10 anos de idade (1274), apesar dos mongóis terem perdido a sua primeira batalha, seus pais são mortos em combate, e ela acabava ficando sozinha. Com medo e solitária, ela acabava fugindo do império, e no mesmo dia, era resgatado por um rapaz. Seu nome era Tojo Nasami, e ele era um aprendiz bem talentoso de arte suprema ninja. Com o código de conduta dele, ele jurava não passar à ninguém os seus conhecimentos, principalmente se fosse para vingança ou caos e desordem.


Tojo cuidava dela até os seus 15 anos, e ao longo do tempo, com seu talento, descobria quem ela era, e por mais que ele ainda sentisse necessidade de desaparecer com ela, ele sentia um pouco de frieza, pelo fato dela ter tido uma vida onde não teve culpa do ocorrido, apenas podia ter aceitado o seu destino. Certo dia, Tojo havia feito uma missão de assassinar um ministro, e de roubar um pergaminho muito importante, e cansado, ele apenas voltava para a pequena casa próxima da floresta, esperando ter guardado-o de uma maneira segura, e acabava dormindo em seguida. Por curiosidade, Usui acordava no meio da noite, notava manchas de sangue em um certo local, e descobria o pergaminho, e, com um pouco de conhecimento, ela acabava descobrindo que ele era um ninja, do estilo assassino. No dia seguinte, ela implorava para Tojo, ensiná-la a arte ninja, que naquela época, ele já era bem experiente, e ele se recusava, pois sabia sobre seus métodos.

Poucos meses depois, o exército dos mongóis, estavam avançando cada vez mais, e os japoneses, se sentindo encurralados, procuravam ajuda com os ninjas. Em torno de 2 anos depois, um novo ataque dos mongóis era descoberto, e Tojo era escolhido para assassinar um dos líderes dos mongóis, mas era uma missão muito arriscada. Preocupado com Usui não conseguir sobreviver, ele ensinava-a o básico das artes secretas, e partia para a missão, mas como estava longe do posto deles, aquilo iria acabar demorando dias, talvez até 6, só para chegar lá. Apesar disso, a guerra acabava sendo travada muito cedo, e apesar da missão falhar, o exército era derrotado por um forte e inoportuno furacão, fazendo com que finalmente o japão conseguisse vencer a guerra, fazendo a lenda dos japoneses serem protegidos por deuses, surgir.

Uma nova era chegava, mas Usui não tinha mais rumo, não tinha mais vingança, tudo parecia estar feito sem a sua necessidade, e Tojo, além de ter voltado vivo, ele via uma oportunidade de dar continuidade à ela, de ensiná-la. Ele havia sido afastado do grupo ninja, mas aproveitava a oportunidade para ensiná-la. Ninguém sabia quem ela era, pois todos acreditaram que ela havia morrido depois que fugiu, e ele não havia contado à ninguém que cuidava de uma garota, logo, ela não tinha identidade, o que se tornava perfeito à ela.


Em torno de 3 anos se passavam, e Usui que estava mais velha (20 anos), um pequeno sentimento de amor surgia entre ela e Tojo, que apesar de parecer velho, ele era 7 anos mais velho que ela (Ele a resgatou com 10 anos, logo ele tinha 17); mas era um amor não correspondido, pois ela ainda tinha bastante admiração por ele, e ele acreditava que ela gostava dele por ser sua aluna e quase que como um pai. Nessa época, alguns ninjas do antigo grupo de Tojo, eram enviados para assassiná-lo com o intuito dele morrer junto com todo o conhecimento que ele tinha, para não ser passado a quem não fosse do seu clã, e coincidentemente, Tojo havia deixado dinheiro para ela ir à vila mais próxima conseguir uma informação para ele, enquanto se abrigava em um hotel com comida; como um teste à ela, e ela ficava por lá alguns dias. Em seu retorno, ela o encontrava morto, no qual os ninjas deveriam esconder seu corpo (o que fazia parte do assassinato), mas como acreditavam que ele vivia sozinho e não tinha parentes, não era necessário. Para Usui, aquilo era um ato desnecessário, covarde, repugnante, e muito frio. A pessoa em que amava estava quase que apodrecendo, e com aquele sangue seco sobre o tatami, ela cerrava seus punhos e naquele dia, ela começava a enterrar seu corpo em baixo daquela pequena casa, onde havia uma pequena passagem na qual ela apenas ajustava as madeiras que seguravam aquela casa em cima da terra, no qual a cobertura dela, evitava daquele solo ficar molhado e afundasse-o. Retirando algumas madeiras e as colocando depois, ela finalmente o enterrava, com lágrimas nos olhos, enquanto um novo desejo de vingança surgia. Ela prometia vingá-lo, mesmo que aquilo quebrasse todos os códigos de honra e conduta, e, para garantir que o que ela havia feito não fosse descoberto, ela decidia queimar a casa alguns dias depois, se preparando para viajar, e finalmente iniciar a sua vingança.


Ela partia para a cidade, e depois de algum tempo começava a procurar alguma maneira de entrar para o clã dele, mas como não sabia como ela iria conseguir, ela decidia ficar atenta à noite, onde um assassinato iria acontecer, e com uma grande habilidade, ela conseguia impedir e forçava aquele ninja a, depois de fazer sua missão, guiá-la ao clã onde ele trabalhava. Aquela pessoa que havia sido assassinada, fazia parte de um grupo de espiões na cidade, homens que restavam do exército mongol, a qual estava infiltrado. Sem se importar com aquilo, ela finalmente chegava ao local, e mesmo que aquela situação fosse estranha, aonde ela fazia aquele ninja como refém, ela conseguia fazer parte do grupo, pois o clã não se importava com quem fosse, contanto que tivesse técnica, aceitasse ser um aprendiz com todos os seus códigos seguidos (inclusive o de matar pessoas sem hesitar), e conseguisse provar sua aptidão (o que ocorria fazendo "um ninja" de refêm, sem ninguém notar). Porém, ao entrar no clã, ela abandonava o seu antigo nome de Usui para Aisu apenas, sem utilizar o seu sobrenome xogun inclusive. Em 2 anos (com 22), ela se destacava entre o clã por ser muito dedicada e forte, mas tal habilidade despertava um interesse nos líderes, no qual a viam como uma aprendiz de alguém bem habilidoso, sem saber a quem, e uma grande desconfiança surgia sobre o clã. Aos poucos, ela fazia um grande preparativo para sua vingança, e sem ter mostrado o seu verdadeiro potencial à todos, além de tê-lo usado apenas para conseguir informações e a descobrir algumas técnicas; certa noite, ela finalmente fazia uma chacina sobre todos, em massa e à sangue frio, inclusive do garoto que havia se deixado ser feito refém naquele dia, no qual ele aparentava ter gostado dela, mas mesmo assim, foi deixado de lado e executado.


Dias depois, alguns samurais conseguiam provas criminais, rastros e histórias sobre ninjas que haviam sobrevivido pois estavam em missão, sobre Aisu, e ao enfrentar o grupo que parecia ser mais um exército, ela era cercada e finalmente presa, para alguns dias depois, ser executada pelo seu crime hediondo.

- Bruxa! Assassina! Covarde!!

As vozes daquelas pessoas, saiam como um canto de morte. Pedras eram atiradas sobre ela, enquanto a chamavam de bruxa, por simplesmente não acreditarem que um clã inteiro, e famoso, de ninjas, haviam sido executados à sangue frio, onde eles é quem deveriam saber muito bem como evitar que fossem assassinados de uma maneira "tão fácil", e covarde por justamente ter feito isso sozinha, quando todos estavam dormindo, de dentro, para fora, sobre os guardas da escolta. A raiva da população, era incontrolável, pois apesar da guerra ter acabado fazia muito tempo, alguns pareciam querer descontar a raiva de seus entes queridos, a uma garota que ou parecia ser uma traidora, ou que realmente pertencesse ao mongóis. Lanças eram espetadas sobre seu corpo, e ela ficava banhada e coberta com seu próprio sangue, onde a camada que secava em sua pele, voltava a ficar encharcada com uma nova camada, e no último momento em que fossem cortar o seu pescoço de vez, a sua voz de dor e e ódio era ouvida, e uma gigante nevasca começava a surgir pelo local, congelando a todos, enquanto uma linda moça de cabelos brancos surgia, sem sofrer nenhum tipo de efeito. Ela estendia a mão para Aisu. Suas cordas, congelavam, suas feridas, se fechavam com o sangue se congelando apenas sobre suas feridas, e ela finalmente era solta, porém, a mão daquela moça ainda estava sendo estendida à Aisu, e ela falava em um tom frio, calmo, e tentador.

- Sua vingança não acabou, junte-se à mim e eu te darei poder para acabar de uma vez por todas esse ciclo sem fim.

Aisu não hesitava e aceitava aquele convite, que a acolhia de uma maneira tão clara e aconchegante, que a lembrou de alguma maneira, os tempos frios que haviam passado com os seus pais, de seu nascimento, que nem sequer conseguia se recordar, até o último inverno passado junto à eles. E assim, Aisu recebia o título de Frostfang, e finalmente era reconhecida por alguém com os mesmos objetivos, enquanto conseguia conquistar o desejo da maioria dos meros mortais: a eternidade.


Última edição por Aisu Frostfang em Sab Jul 25, 2015 3:09 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aisu Frostfang

avatar

Sexo : Feminino
Data de nascimento : 07/07/1991
Horóscopo chinês : Cabra
Zodíaco : Câncer
Status : Vivo(a)
Terra Natal : Iceland
Tendência : Leal - Mau
Data de inscrição : 14/12/2014
Mensagens : 8

MensagemAssunto: Base.   Sex Jul 03, 2015 11:03 pm

Nome: Aisu Frostfang (Usui antes).

Sexo: Feminino.

Data de nascimento: 12 de dezembro de 1264.

Idade: 765 anos (Aparenta ter 22, quando foi resgatada).

Altura: 1,64.

Peso: 59kg.

Cor do cabelo: Branco (Azul em sua época).

Cor dos Olhos: Azul (Rosa em sua época).

Tendência: Leal mau (Ou má) (Anteriormente leal neutra).

Posição: Assassina serva de Agatha.


Última edição por Aisu Frostfang em Sab Jul 25, 2015 3:08 pm, editado 2 vez(es) (Razão : Lealdade à Agatha)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Aisu Frostfang
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Dark Side RPG :: Curiosidades :: Personagens-
Ir para: