Dark Side RPG

Um RPG que se passa em um mundo pós-apocalíptico, com vários reinos se formando sobre as ruínas do mundo antigo.
 
InícioCalendárioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 O Vaga-lume

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Ethan Stamford

avatar

Sexo : Masculino
Data de nascimento : 14/08/2003
Horóscopo chinês : Cabra
Zodíaco : Leão
Status : Vivo(a)
Terra Natal : Qantuum
Tendência : Caótico - Neutro
Data de inscrição : 08/12/2014
Mensagens : 19

MensagemAssunto: O Vaga-lume   Sex Jan 09, 2015 9:09 pm

Biografia


Ethan Stamford era um garoto de classe média no país da Inglaterra. Cresceu apenas com sua mãe, já que seu pai havia sumido um pouco antes do garoto nascer. Sua mãe recebia ajuda de seus parentes para conseguir criar Ethan, e anos mais, de tanto esforço, ela contraiu uma doença.

O garoto amava sua mãe e todas suas manias. Mesmo começando a adoecer, continuava alegre e compartilhando com seu filho uma paixão que tinha, músicas country, e até o dava de presente um discman antigo que tinha, com fones de ouvido e tudo, Ethan sempre andava com eles não importava para onde fosse.

Ao crescer escutando as músicas que sua mãe ouvia, Ethan também tomou o mesmo gosto da mãe que desde sempre tinha um apelido para seu filho, vaga-lume. Ele não sabia o que poderia significar aquilo, mas adorava, ainda mais porque o apelido vinha da pessoa que mais amava, sua mãe.

Quando tinha sete anos, Ethan se deparava com sua mãe caía no chão, sua doença havia piorado e após buscar ajuda ela foi colocava no hospital. Os parentes de Ethan iam visita-la, e todos eles saiam tristes do quarto, o que deixava o garoto com medo, ele não sabia o que estava acontecendo com sua mãe. O último que saía era seu avô, e ele dizia a Ethan que sua mãe o queria ver. A criança ao entrar no quarto via sua mãe com uma expressão pálida e bem ruim, ela parecia estar perdendo a vida.

Sua voz fraca o chamava, e sobre sua mão esquerda estava uma caixa de presentes. Ela dizia para ele pega-la, dentro dela estava um presente, mas ele deveria abrir apenas quando ele sentisse que estava pronto para tal. Ethan não entendia o porque daquelas tristes palavras, a voz dela estava triste. Lágrimas começavam a sair de seus olhos sem parar, um sentimento de que nunca mais veria sua mãe novamente ia tomando conta de seu peito inteiro. Doía, doía demais. E era assim que ele via sua mãe fechar os olhos lentamente quando o garoto pegava o presente com o mesmo sorriso de sempre no rosto.

Ethan não aguentava aquela cena, e abraçando forte a caixa de presente saia correndo do hospital, desviando de todos os seus parentes. Corria, corria, até nem ele mesmo saber onde estava mais. Tinha entrado em uma floresta e se perdido nela. Seu discman ainda estava com ele, quase nunca o tirava. E com medo no meio da floresta ele dava play no único CD que tinha dentro dele, e escutava as músicas que sempre gostou, conseguindo o acalmar no meio do desconhecido.

O garoto andava entre as árvores daquele vasto lugar, e poucas horas depois começava a sentir bastante fome, além de estar exausto. Aquela floresta parecia um labirinto, só estava conseguindo andar tranquilamente ouvindo suas músicas, elas davam a coragem de que precisava, até que começava a sentir cheiro de comida. Com fome, Ethan era guiado até a fonte do cheiro, e lá se deparava com um homem, aparentemente com 30 anos, armado até os dentes enquanto preparava comida, eram peixes em espetos sobre uma fogueira. As roupas daquele homem lembravam muito as de um cowboy. Sem nem mesmo aparecer, Ethan era sentido por aquele homem, que o mandava aparecer.

Sem lugar para correr, Ethan decidia aparecer, e ele olhava fixamente para o peixe que estava sendo preparado. O cowboy ficava perguntando ao garoto porque ele estava ali, quem ele era, mas Ethan não escutava, por causa dos fones de ouvido e estar prestando mais atenção na comida do que no homem que ali estava. O estranho armado começava a ficar irritado, e era quando escutava o barulho do estômago do garoto. Ele estava com fome, e suspirando, o cowboy estendia sua mão para Ethan, com o "espeto de peixe", entregando comida ao faminto garoto.

A criança pegava o peixe, e comia desesperadamente, com muita fome. O cowboy ria com a maneira que o garoto comia, e se servia depois de dar o espeto a Ethan. Quando o garoto terminava de comer, ele finalmente retirava seus fones de ouvido e agradecia ao homem pela refeição. Por algum motivo, seu medo sumia ao estar próximo daquele homem e era quando ele repetia suas perguntas. E pelos ensinamentos de sua mãe de sempre agradecer quem o ajudasse, Ethan contava sua história e como havia parado ali para o cowboy.

O nome do cowboy era Maxwel, e após ouvir a história de Ethan ficava pensando um pouco enquanto perguntava o garoto. "Por que você não volta para seus parentes garoto?". Ethan olhava para Maxwel, por baixo dos olhos do garoto a cor vermelha predominava, eram olhos de alguém que havia chorado bastante, mas durante seu passeio na floresta havia decidido algo e contava isso a Maxwel. "Minha mãe me deu isso antes de morrer...", mostrava a caixa para o cowboy, "e ela me disse para abrir só quando eu estivesse pronto, mas se eu voltar sinto que nunca ficarei pronto.". As palavras daquele jovem surpreendiam Maxwel, e aquele pensamento de Ethan diziam ao cowboy que o garoto procurava por uma jornada para estar pronto àquilo.

Maxwel então decidia pergunta-lo algo, o dava uma oportunidade única, talvez seu coração estivesse mole aquele dia. "Garoto. Por que não vem comigo em uma jornada? Posso te garantir que vai ter bastante dinheiro e vai se tornar forte!". Ethan ficava contente pelo homem querer ajudá-lo, o cowboy parecia uma boa pessoa, por isso ele decidia ir com ele. Logo descobria que Maxwel era um caçador de recompensas, mas só pegava trabalhos para roubar algum objeto raro que seja de desejo de seu contratante, além de também pegar para si mesmo as vezes quando não tinha trabalho algum e soubesse de alguma relíquia. As habilidades dele eram ótimas, e Ethan acabou sendo seu aprendiz, crescendo ao lado do homem que o tratava como um filho.

Ethan crescia com Maxwel, que era conhecido como "Cowboy Destemido", o destemido sempre dizia ao garoto que o truque para ser um caçador de recompensas era ter um apelido. Era quando se lembrava do apelido que sua mãe havia dado a ele, Vaga-lume. Era com esse nome que entrava no mesmo ramo que Maxwel, os caçadores de recompensa. Ethan além de ser um alvo de piadas pelo seu codinome de que não se envergonhava nenhum pouco o rapaz havia ganhado uma paixão enorme por dinheiro. Havia aprendido com Maxwel que com dinheiro você poderia fazer praticamente tudo, de bebidas a mulheres.

Quando o Vagalume tinha cerca de 15 anos, já era o sexto ano da terrível guerra que havia começado em 2012. No momento ainda andava com Maxwel, que desde quando a guerra começou sentiu que os trabalhos estavam escassos. O destemido estava ficando velho, e Ethan sabia que se continuasse com ele não conseguiria chegar no principal objetivo de sua jornada além do dinheiro, ficar pronto para abrir o presente de sua mãe. Por isso, durante uma noite, o Vaga-lume roubava bastante do dinheiro de Maxwel e fugia, o deixando para trás, estava pronto para começar a se virar sozinho depois de tudo que o destemido o ensinou.

O Vagalume tinha vários apetrechos, desde granadas de diversos tipos ao seus dois revólveres tradicionais. Usava um estilo de roupa parecido com o de Maxwel, continuava levando o mesmo velho discman de sua mãe para todo canto que ia e agora sozinho começava a participar da guerra que estava acontecendo. Procurava chegar até o centro de cada batalha, conhecendo os líderes ou comandantes de cada lado, sempre os propondo algo em troca de dinheiro, algum favor, sabotagem, e essas coisas. Com sua boa lábia, Ethan conseguia ganhar bastante dinheiro com a guerra, e o mais importante, nunca deixar ser visto por seus inimigos, quase ninguém conhecia o nome Vaga-lume quando a guerra se acalmava bastante sete anos mais tarde, era como uma lenda de guerra, e como não tinham provas o nome meses depois era esquecido.

Mas ele existia, e Ethan continuava a andar pelo mundo, procurando por trabalhos em todo canto. Qualquer relíquia que alguém quisesse ele faria o roubo por dinheiro, e com esse dinheiro sempre se divertia pelas vilas em que passava. Esse era o estilo de vida do Vaga-lume, que sempre está escutando boas músicas em sua jornada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ethan Stamford

avatar

Sexo : Masculino
Data de nascimento : 14/08/2003
Horóscopo chinês : Cabra
Zodíaco : Leão
Status : Vivo(a)
Terra Natal : Qantuum
Tendência : Caótico - Neutro
Data de inscrição : 08/12/2014
Mensagens : 19

MensagemAssunto: Re: O Vaga-lume   Sex Jan 09, 2015 9:24 pm

Perfil


Nome: Ethan Stamford

Codinome: Vaga-lume

Sexo: Masculino

Data de Nascimento: 14 de Agosto de 2003

Idade: 26 anos

Altura: 1, 93 m

Cor do Cabelo: Loiro

Cor dos Olhos: Verdes

Tendência: Caótico - Neutro


Última edição por Ethan Stamford em Sab Jun 13, 2015 3:17 pm, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ethan Stamford

avatar

Sexo : Masculino
Data de nascimento : 14/08/2003
Horóscopo chinês : Cabra
Zodíaco : Leão
Status : Vivo(a)
Terra Natal : Qantuum
Tendência : Caótico - Neutro
Data de inscrição : 08/12/2014
Mensagens : 19

MensagemAssunto: Re: O Vaga-lume   Sex Jan 09, 2015 11:22 pm

Música Tema


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O Vaga-lume   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Vaga-lume
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Central] Torneio de Equipes
» Vaga-lume
» Comandante Azul Linhas Aéreas
» Vagas Co-Piloto Airbus Tam
» [Brasil] Inframerica assume administração do Aeroporto Internacional de Brasília (DF)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Dark Side RPG :: Curiosidades :: Personagens-
Ir para: